A Diabetes Canina

Sim, os nossos amigos de quatro patas também podem desenvolver essa doença que está se tornando cada vez mais frequente.

Podemos dizer que a diabetes canina é bastante semelhante a que acomete os seres humanos, sendo que os hábitos da vida moderna e a maior longevidades dos pequenos estão entre suas causas.

A Diabetes Mellitus nos cães

A diabetes acontece devido a uma falha na produção ou ação da insulina produzida no paciente. A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que age abaixando os níveis de açúcar no sangue, quando esse hormônio não é secretado em quantidades suficientes ou quando o corpo do animal não responde ao estímulo da insulina o paciente é diagnosticado com diabetes, que é caracterizada por uma alta concentração de açúcar no sangue, um aumento na quantidade de urina excretada e por distúrbios no metabolismo das proteínas, carboidratos e gorduras que levam o animal a perda de peso.

Normalmente a diabetes canina costuma acometer cães com mais de 5 anos de idade, sendo mais frequente em algumas raças:

  • Beagle
  • Dachshund
  • Golden Retriever
  • Labrador
  • Poodle
  • Samoieda
  • Schnauser
  • Spitz

Fatores relacionados

  • Predisposição Genética
  • Disfunção Hormonal
  • Obesidade
  • Desenvolvimento após a gestação
  • Secundária de outras enfermidades

Sintomas da Diabetes Canina

  • Aumento de apetite
  • Sede excessiva
  • Aumento da quantidade de urina
  • Cansaço
  • Sedentarismo
  • Perda de peso

Tratamento

Após os exames necessários o médico veterinário irá avaliar se será necessária a administração de insulina para o animal, com doses e períodos definidos e ainda:

  • A alteração de sua alimentação para rações dietéticas. É interessante passar por uma nutricionista veterinária para a prescrição de uma dieta adequada.
  • Aumento dos exercícios diários
  • Nas fêmeas é indicada a castração, pois seus hormônios podem atrapalhar a ação da insulina.

É importante saber que, assim como nos humanos, a diabetes canina não possui cura, porém com o tratamento e cuidados adequados é possível ao nosso amiguinho ter uma vida normal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.