Animais de estimação e os idosos na pandemia

Diversos estudos científicos apontam os benefícios que um animal de estimação traz aos tutores idosos, pois com o isolamento social muitas pessoas têm se sentido sozinhas, em especial essa parcela da população!

A companhia dos animais vem mudando o humor de muita gente! Existem muitos casos de pessoas que tinham doenças e, após a chegada de um pet em suas vidas, passaram a viver de forma melhor e mais saudável.

No caso da saúde física, idosos com animais de estimação tendem a ser mais ativos. Eles precisam exercitar o corpo regularmente para que nada se atrofie, e por isso um bichinho é perfeito. O cachorro, por exemplo, necessita de passeios frequentemente, então acaba sendo um estímulo para o dono sair e fazer atividade física também.

Vantagens para os idosos

Além disso, um animalzinho ajuda a reduzir a pressão arterial e a frequência cardíaca, consequentemente diminui as chances de uma parada cardíaca e aumenta a expectativa de vida. O humor também melhora consideravelmente. Brincar e rir com o bichinho deixa a pessoa leve, menos preocupada e mais feliz.

Uma outra vantagem para os idosos, em especial aqueles que vivem reclusos, é que os pets desviam a atenção dos problemas urgentes do dia a dia. E não é apenas o estresse dos problemas diários o grande foco de preocupação, mas o tédio, a solidão e a falta de controle a que estão submetidos nessa fase da vida.

Ah! Vamos lembrar que os nossos filhotinhos peludos são reconhecidos pelo seu efeito calmante e terapêutico, existindo estudos que comprovam que a companhia de um pet contribui para liberar o neurotransmissor serotonina que ajuda a regular o humor!

Os pets ajudam também os idosos a lidarem de uma forma melhor com os problemas, sem contar o contato físico com outro serzinho vivo e que precisa de seus cuidados.

Os gatos são ótimos para idosos que querem pouco trabalho em relação aos cuidados. Esses animais só precisam de uma caixa de areia, água, ração, arranhador e alguns brinquedos. Sabem cuidar de si mesmos, são independentes e dificilmente darão dor de cabeça. Além disso, são pets muito limpos e se encarregam da própria higiene. Também são ideais para quem têm pouca mobilidade e não pode sair de casa com frequência. Os felinos se exercitam, basta oferecer os brinquedos certos.

Ações sociais

O bem-estar gerado pela convivência com um animal é reconhecido pela medicina. Tanto que, desde 2018, a rede pública de saúde da capital permite a entrada de animais de estimação em hospitais para visitarem os seus donos internados, benefício regulamentado pela Lei nº 16.827, de 6 de fevereiro de 2018.

Temos também ações como o Projeto Social do Instituto Cão Terapeuta, que realiza visitas semanais, quinzenais e mensais a instituições que cuidam de crianças, adultos e idosos em situação de vulnerabilidade.

Você tem algum caso de idosos com pets para contar pra gente? Escreva e compartilhe!!

Ficou com alguma dúvida?? Basta nos escrever!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *